29/12/2007

Feliz 2008

A correspondencia recebida, as notícias, as fotos, as encomendas vindas do Puto, anda hoje estão marcadas na nossa memória.
O final de cada ano, era um riscar no calendário de mais uma etapa da nossa permanencia na guerra.

Pelo seu significado quanto ao conteudo e até do da beleza dos selos e do próprio envelope, aqui fica registado o simbolo do unico meio de comunicação de então com os nossos familiares e amigos - a escrita

Formulamos assim, para o ano de 2008 os sinceros votos dum melhor desempenho profissional, para todos e que a nível pessoal, este ano que se aproxima, se revele mais benemérito em todos os sentidos que o ano de 2007.
Bem hajam

22/12/2007

Angola - BCAC2877 - Boas Festas - Feliz 2008

Mensagem recebida via Email, após contacto telefónico com este nosso antigo companheiro de armas, que esteve em data anterior à nossa passagem por aquelas paragens, em Bessa Monteiro.
Procurava notícias de quem por lá passou.
Recordações do passado.

"Olá, Braz (ex-combatente do norte de Angola).

Recebi em boas condições o seu e-mail e desde já o meu muito obrigado pelos esclarecimentos prestados. Para mim é sempre um enorme prazer contactar com ex-combatentes donde também faço parte.

Bcaç. 1931, Companhia Caç. 1786. Permanência mais de vinte meses nas terras isoladas de BESSA MONTEIRO, mais tarde fomos para o Chimacongo região da DAMBA.

Aqui lhe deixo um abraço desejando-lhe um BOM NATAL e FELIZ ANO NOVO, para si e estimada familia.

José Figueira "

Angola - BCAC2877 - Boas Festas - Feliz 2008




B O A S F E S T A S
F E L I Z 2 0 0 8
Os anos ensinam muitas coisas que os dias
desconhecem

Sê prudente nos teus
negócios,

Mas que esta convicção não te impeça de
reconhecer
a virtude;

há muitas pessoas que lutam por ideais
formosos e,

em toda a parte, a
vida está cheia de heroísmo.

Aceita com serenidade o cortejo dos anos,

e renuncia sem reservas aos
dons da juventude.

Vive em paz com Deus,seja como for que O imagines;

entre os teus trabalhos e aspirações,

mantém-te em paz com a tua alma,

apesar da ruidosa
confusão da vida.

De
todos

para todos

os

do
BCAÇ 2877







17/12/2007

O hábito das Festas



O hábito da maioria dos cristãos, passa pela celebração das Festas Natalícias na data do nascimento do Menino.
Para além das cerimónias religiosas que por todo o mundo se celebram, aqui e além de maneira bem diferente das tradicionais festas portuguesas, este período do ano, tem enraizado em sí, o tradicional aconchego familiar junto dos entes mais queridos.
O presépio tradicional, conhecido, como chegou até aos nossos dias, aproveitando o facto do nascimento do menino Jesus, representa, afinal isso mesmo, A data serve também, e especialmente para os mais jovens, desde os bebes aos adolescentes receberem as prendas que o velho Pai Natal, já de barbas brancas, mas sempre muito jovem para as longas
caminhadas com o seu trenó puxado por uns pares de renas, depositar no sapatinho, que sempre ficava por dentro da chaminé, hoje por mais moderno, junto da lareira ou do sempre e também tradicional pinheiro de Natal.
Para além dos prazeres da mesa, a comida e a bebida, mas sobretudo os doces, são nestas datas o expoente máximo da gula, do regalo gastronómico para miúdos e graúdos.
As calorias depositadas em excesso no espantalho do nosso corpo, suportado pelo cabide da nossa estrutura óssea, darão conta de si em futuro bem próximo.
Ao que se saiba, embora haja quem o conteste, vida só há uma.
Cuidado com a ida e com o regresso, as viagens podem ser um perigo, mas…. também, cuidado com a estadia.

10/12/2007

Angola Bcac 2877 - 1969 - 1971 - Boas Festas


As nossas desculpas, mas por mais voltas que tentemos dar, não é possível colocar o "postal de Boas Festas" do nosso Blog em condições aceitáveis.

Fica o esforço.

Conta a intenção


Paciência !!!


Aqi fica um pequeno escrito que foi feito com a modesta intenção de chamar a atenção e à razão a todos aqueles que por esta época de Festas de deslocam para as passar junto dos seus familiares e amigos mais chegados



A quadra natalícia é propícia a grandes deslocações, por todos os meios de transporte.
O mais comum e o mais cansativo, é feito em automóvel.
O condutor do veículo suporta não só o “trabalho” físico de levar os seus acompanhantes ao seu destino, mas ainda a pressão psicológica de os fazer transportar sem percalços até ao final da viagem.
Conduzir “à defesa”, isto é, calmamente, com atenção redobrada sobre a estrada, mas principalmente sobre aqueles que também são seus companheiros nessa jornada e que tanto circulam no mesmo sentido do seu, como em sentido contrário. Por vezes o ultimo dia de trabalho ou até as ultimas horas antes da partida, são de tal forma desgastantes que exercem uma enorme fadiga física e mental sobre o condutor.
Os seus companheiros podem e devem dar uma boa ajuda nesse sentido, acompanhando-o e dando-lhe alguma “assistência” qunado tal se sentir necessário. Parar, afrouxar a velocidade, não criar objectivos de etapas quase impossíveis de atingir, serão um bom método para fazer uma viagem mais segura e descontraída.
O velho ditado de que “mais vale chegar tarde que nunca”, deve aplicar-se perfeitamente a estas situações.
Acima de tudo, não esquecer também que o “seguro morreu de velho”, e não há seguro nenhum que devolva a vida ou uma incapacidade, por mais leve que seja, a cada um de nós.

Boa viagem, sem acidentes



06/12/2007

Zau Evua - Angola - Bcac 2877

Publicamos mais uma "vista" do aquartelamento de Zau Évua.
No alto do morro que ficava no centro do quartel, pode ver-se a Capela e a torre adjacente que servia de posto de vigia

04/12/2007

Bancada Central em Zau Évua

Aqui fica mais um testemunho dos momentos de lazer.
Estádio de Zau Évua
Lotação esgotada
Na mata outros companheiros lá estavam em missão. Estes gozavam a sua folga de mato.

03/12/2007

Ora bolas ....


Desta vez as bolas têm a ver mais com aqueles jogos de futebol que por lá se faziam.
Quem não se recorda ?

02/12/2007

Mensagem/comentário inócuo




Não havendo muito que dizer, aqui ficam umas fotos, oferecidas com um sentir especial, para os nossos ex-companheiros do interior do país, pois nem sempre tem possibilidade ou facilidade de ver o mar.


A razão é simples, pois nem sempre se pode ver o Atlântico assim tão "revoltado" e sem "vento", na Praia do Guincho, perto de Cascais

01/12/2007

Ora bolas . . .


Hoje é sábado, mas podia ser um outro dia qualquer, daqueles que são da semana de segunda-feira a Domingo. Domingo dia de descanso por natureza. Descanso, tambem só para alguns.
Muitos, face às suas profissões, trabalham e descansam em dias diferentes da grande maioria.
Quando falamos de descanso, falamos do corpo e do espírito.
Passar assim um dia, descontraído, com a mente liberta de problemas, se tal tambem for possível, com o corpo descontraído e mesmo que se faça algum trabalho ou esforço fisico, que esse seja substancialmente diferente do outro que se efectua no dia a dia.
Hoje, porque é o primeiro dia do último mês do ano, ainda significa que é feriado nacional. Sim, porque ainda há feriados nacionais. Este feriado, tem muito a ver com guerras e cenas de "pancadaria", claro que á boa maneira do seu tempo.
Portugal tem sido um país com poucas cenas de pancadaria deste tipo, mas mesmo assim, algumas são dignas de uma pequena menção.
Claro que o o Senhor Dom Afonso Henriques não tivesse andado à "estalada" com a mãe e o suposto "padrasto", o dito Condado Portucalense teria certamente levado outro caminho e aquele não teria sido o primeiro rei deste rectangulo.
Como posteriormente em 1640, não tivesse acontecido nova cena de "pancadaria" com o envio para o outro lado da fronteira de Elvas dos hoje nossos irmãos espanhóis. Portugal seria talvez mais uma provincia autonómica da Espanha.
Politicas à parte, mas que o nível de vida do lá de lá, supera o nosso em qualidade e quantidade, é mesmo verdade.
Isto a proposito do feriado, mas acima de tudo porque, mesmo com feriados, sábados, Domingos ou dias santos, ninguem escreve uma linha que seja (salvo raras e recomendáveis excepções) para alimentar este nosso elo de ligação, a que lhe chamaram Blog.
Ora bolas . . .
Acabem com a preguiça, em especial a preguiça mental . . .

30/11/2007

O Natal está à porta ! Recordações

Duas fotos.

Os "velhos cartões de Boas Festas" . Sempre davam para um maior estreitamento das relações nesta altura do ano, com os familiares e amigos.

Os Almoços ou Jantares de Natal, sempre serviam para juntar ainda um pouco mais todos os que, emboram passando dias, semanas e meses, muitos meses juntos, poderiam começar a ficar um pouco afastados.

28/11/2007

A foto com o crocodilo

A pele terá servido para uns sapatos e umas malas de senhora.
O "bicharoco", que não era nada pequeno, serviu para umas tantas dezenas de fotos.
Aqui fica mais uma recordação.
Obs.: Um destes dias, sobre um tema de caça ao crocodilo, vou-vos contar uma pequena história passada exactamente no dia em que o novo furriel foto-cine, (o que substituiu o furriel Messias, que por lá tinha ficado esquecido) chegou a Zau Évua - o Octávio Amaral

20/11/2007

Listagem de moradas dos nossos companheiros

Vamos fazer um esforço no sentido de actualizar a listagem de moradas que se encontra no blog das moradas do BCAC2877.
Ainda não sabemos comos lá iremos colocar as moradas.
Será em principio por ordem alfabética, se o conseguirmos.
Tentar está na nossa mão e é fácil, conseguir, por vezes é um pouco mais dificil, pois para transferir alguns tipos de ficheiros para o Blog, estes nem sempre saem "direitos".
Contudo vamos tentar.
Pedimos a quem nos leia e que repare em alguma anomalia, que faça o favor de nos a indicar, para a suprimir ou rectificar.
Entretanto, vamos publicando mais umas fotos do baú das recordações

19/11/2007

Monumento aos mortos da guerra nas colónias

Torre de Belem - daqui se descobriram os mares nunca antes navegados
Monumento em grande plano
Ao fundo no centro do monumento a chama
Ao fundo o painel em marmores com o nome de todos os mortos em combate
Outra vista do monumento

Uma passagem descontraida por Belém, aviva a memória de todos nós acerca de quantos, e foram muitos, os que deram a vida na guerra das colónias.

A desgraça, o sofrimento que passou a pairar para sempre nos mais profundos sentimentos do seus familiares, não se apagam com estes monumentos.

Estes servem afinal, para fazer lembrar a todos os vindouros o significado, a finalidade, o desfecho da Guerra.

18/11/2007

Descontração do pessoal da Secretaria

Aqui fica mais uma foto que demonstra os momentos de deconstração ao redor da "mesa".
A "mobilia", como se vê pela amostra, foi importada directamente da "capital do móvel" e resultou dos últimos modelos que foram produzidos.


OBS: Continuamos à espera de colaboração "literária", através de comentários, mensagens ou por quaqluer outro meio que nos queiram fazer chegar os "escritos". Ou será que o reumático do tipo preguiçoso, já afectou grande parte dos nossos companheiros ?

16/11/2007

Os bananas

Por todas as “guerras”, temos sempre ouvido histórias engraçadas, dignas de registo nos melhores manuais de anedotas.
Na nossa guerra de África, muitas foram os casos que originaram situações caricatas.
No inicio da comissão, nos primeiros tempos, logo após a chegada ao “mato”, quando da nossa idas à caça, havia sempre a indicação de levarmos um rádio.
Rádio que serviria para o contacto com o quartel em caso de uma qualquer necessidade.
Ao tempo ainda existiam os ANGRC9 (salvo erro, este o seu nome), ainda do tempo da 2ª guerra mundial. Pesados e muito difíceis de transportar, em especial para situações de nomadização a pé, como era o caso das caçadas. Já existiam os “Racal”, rádios sul-africanos muito mais leves e maneirinhos, que serviriam para o efeito. Mas, também não havia muitos e alguns avariavam com facilidade.
A solução seria a de levar uns rádios mais pequenos, os “bananas”, assim chamados, quer pelo seu feitio curvo e pela própria cor, a da banana enquanto verde.
Mas, sendo leves, o que seria óptimo para o transporte, pois eram facilmente transportáveis, tinham um grande defeito. A uma muito curta distância do quartel, assim que um pequeno declive, “escondia” o aquartelamento, o pequeno e portátil rádio, apenas serviria de arma de arremesso, pois perdia a sua capacidade de emissão e recepção.
No fim, para as caçadas na periferia do quartel, sem qualquer rádio, foi a solução.

13/11/2007

Sintomas de stress pós-traumático podem surgir 30 anos depois!!!

Os sintomas de stress pós-traumático entre os antigos combatentes revelam-se, em alguns casos, apenas 30 anos depois dos conflitos armados, despoletados por cenas de guerra ou som de helicópteros ou metralhadoras - conclui um estudo.
O estudo da médica do Hospital Militar de Coimbra Luísa Sales, apresentado no âmbito do Congresso Nacional de Psiquiatria e Saúde Mental, mostra que, «em determinados indivíduos os sintomas revelaram-se no decorrer do cumprimento do serviço militar, mas registaram-se também manifestações 30 anos depois».
«Do grupo de factores que estão na origem do aparecimento tardio de sintomas destacam-se as cenas de guerra - como, por exemplo, aquando da primeira Guerra do Golfo - e ruídos diversos, como o som de helicópteros ou de metralhadoras», é referido num texto sobre o trabalho, que foi divulgado num painel subordinado ao tema «Stress Pós- traumático - Dados da Investigação Portuguesa».
As alterações do sono são os sintomas mais frequentes do stress pós-traumático, causado por factores como ferimentos, morte de camaradas, emboscadas, privação de necessidades básicas e vivência de uma situação de prisioneiro de guerra.
O estudo abrangeu um total de 206 ex-combatentes, com idades compreendidas entre os 55 e os 59 anos, e teve por base a análise das consultas de peritagem médico-legal entre Novembro de 2002 e Julho de 2005.
Um outro estudo, apresentado por João Monteiro Ferreira, analisou uma amostra de 91 veteranos de guerra e de 58 mulheres de alguns deles.
Deste grupo, com elementos pertencentes a tropas especiais que efectuaram serviço em África, 66% revelaram sintomas de stress pós-traumático, enquanto 78% das mulheres «são portadoras de condições de stress pós-traumático secundário». in http / palavras-ao-acaso.blogspot.pt
Muitos valdantanos ex-combatentes podem sofrer deste stress e é por isso que chamo a vossa atenção para este grave problema de saúde que o nosso governo teima em desprezar não dando qualquer tipo de apoio. Muitos dos militares ficam doentes e muitas vezes morrem sem saber o que realmente os afectou. Mais grave ainda, ficou demonstrado em estudos recentes que este distúrbio se pode reflectir nos familiares dos militares e prolongar-se por várias gerações.

in Vale da Anta - Blog

09/11/2007

BCAC2877 - ao correr da pena

Hoje trago aqui ao blog uma situação que se passava no nosso tempo da guerra de África.
Tem a ver, não só com o período máximo de serviço militar obrigatório e a sua diferença entre aqueles que eram alistados ou recrutados nos antigos territórios africanos em comparação com os que eram recrutados na Metrópole, no Puto, como por lá de dizia do então Portugal.
Pois bem, que iniciava o serviço militar em Angola, tinha 2 anos, digo bem dois anos de serviço militar obrigatório.
Esses dois anos, comportavam as passagens pelos tempos de recruta e de especialidade, numa primeira fase, com cerca de um ano, mas não em zona operacional.
A segunda fase era passada no "mato", em zona operacional.
Ora aqui estava a grande diferença.
No caso, aos angolanos, passavam dois anos na tropa. Os metropolitanos, passavam, no minimo, 3 anos de serviço militar. Um ano no Puto, ou próximo disso, em casos especiais, em especial para as praças e os outros dois anos por aquelas terras.
Para os graduados, no minimo um ano por cá. Por lá, "até ao meu regresso", que nunca era antes dos 24 meses
Que diferença.

08/11/2007

Mais um comentário - Joao Rego - Lufico

Via Email, tomo a liberdade de publicar esta Msg do nosso antigo companheiro do Lufico.
Aqui fica, sem mais comentários.
" Olá Brás,
Acabo de ler o teu desabafo originado num comentário em que se reclama a abordagem de diversa temática.
Pois bem, acho que temos que aguardar que o nosso companheiro autor do comentário apresente um escrito (ou vários) sobre o que a sua inclinação indicar. Só teriámos que ganhar com isso. O blog só pode ser o que nós quisermos que ele seja, através das nossa contribuições.
Quero lembrar a quem visita o blog que era natural que nas vésperas da confraternização todas as notas deixadas por ti fossem directamente relacionadas com o evento. Rebobinando a "cassette", veremos que nos foi relatado uma que outra interessante nota sobre outros assuntos que não a "carne". (A visita ao Américo...por exemplo)
De qualquer maneira, um espírito bem alimentado terá melhor disposição para actuar. Não sei se o latim está correcto mas "primum vivere deinde philosofare". (O capelão Manuel que me corrija). E conheço algumas tertúlias literárias que produzem muito à volta de uma boa mesa.
Brás, não desanimes, vais ver que vão aparecer abordagens diversas. E tu... mantém-te ao leme.
Bem hajas e um abraço do
João Rego (Lufico) "
Sobre a minha colaboração com o Blog, para alem de "me ter enfiado neste poço sem fundo", mas com muito gosto.
Pela experiência pessoal e profissional, tenho a noção de que a grande maioria da "gente" do nosso escalão etário, não só não tem acesso à Internet, como tambèm, não tem "jeito e não o procuram ter", para estas coisas.
Não foi o meu caso. por razões várias, mas tambem por motivos profissionais e acima de tudo por "carolice".
Assim, aqui estou, com a disponibiliade possível, dando o meu modesto contributo nesta "coisa", que em segundos dá a volta ao mundo, passando tão rápidamente de um polo ao outro, como aos antípodas.
Temos vivido momentos gratos de contactos de muita gente, quer via Email, quer via telefone, procurande informações sobre isto ou aquilo. Alguns desses contactos, temos feito a sua publicação por achar-mos que o devemos fazer.
Aqui nas minhas palavras não fica nenhum ressentimento sobre este ou aquele comentário, antes pelo contrário, fica sim um espevitar de consciências no sentido de que, qualquer que seja o comentario, bem ou mal escrito, com lógica ou sem ela, será sempre publicado, desde que não seja uma afronta à dignidade e à consciência de quem quer que seja.
Já há uns tempos tinhamos lançado o mesmo desafio, para que de vez em quando alguem escreve-se uns pequenos artigos sobre aquelas situações ou peripécias que no nosso dia a dia em Africa, sempre foram acontecendo e que hoje, na distância de tantos anos passados, a sua recordação, alimenta a nossa memória.
Nos últimos tempos, a minha disponibilidade fisica e mental não tem sido a melhor, razão primeira porque não tenho dado um ar da minha graça nesta actividade "literária", á boa medida da literatura de cordel, comparável aquele estilo medieval.
Apesar de tudo, sempre vou produzindo estes "pedaços de literatura ao correr da pena".
Bem hajam afinal os que nos vão visitando e lendo.
Os que criticam e dão opiniões, demonstram que estão ao corrente do que se passa no Blog, mas, pena é, que a sua participação não seja activa.
O repto continua.
Escrevam, critiquem, mandem fotos, mantenham esta chama viva de estar e continuar a estar presente no dia a dia, revivendo, acima de tudo os "bons" momentos que por obrigação, nos propiciaram, por aquela guerra de África"

05/11/2007

Comentário aos comentaristas

Hoje vou fazer uma pequena crónica, uma critica, assim como que uma troca de apupos.
Sei que nos ultimos tempos, após a organização do almoço, fiquei assim como de papo para o ar, à sombra da bananeira, sem grandes preocupações ou profundos pensamentos.
A confraternização correu bem, o "petisco" não terá sido mau e a rapaziada da nossa idade, todos velhos companheiros e respectivos familiares, terão ficado satisfeitos.
Pois bem, eis que então, um ilustre companheiro nosso veio à luta com um comentário crítico sobre o essencial dos temas do Blog - comida para o corpo, pouca comida para o espírito.
Eu, na verdade não estando muito voltdo para os grandes dotes filosóficos, sempre vou aqui e ali, dando umas alfinetadas no marasmo dos comentários que são feitos, mas, especialmente, naqueles que não são.
Ora aqui estou eu, chegando ao fundo da questão.
Pois então, nem o nosso amigo, comentador crítico, nos manda uma peça, de poucas linhas que seja, para publicar, mesmo depois do répto que foi lançado, nem um qualquer outro companheiro toma essa inicitiva.
Até à próxima mensagem.
Bem hajam os que afinal sempre nos vão visitando e lendo

31/10/2007

Pensão dos Antigos Combatentes

No mes de Novembro, é altura de receber o Complemento Especial de Pensão ( Antigos Combatentes)
Tem como referência o valor da pensão social no ano de 2007 e é calculado para o pessoal do BCAC2877 com base em 2 anos e 1 mes de bonificação face ao tempo pestado pelos ex combatentes em condições especiais de dificuldades ou perigo (Zona Operacional a 100% no nosso caso)
Corresponde a 3.5% do valor da pensão social por cada ano de bonificação ou duodécimo.

30/10/2007

CAC2674 - Procura-se

Mnasagem com pedido que se publica


"Bom Dia
Ex 1° Cabo Pimentel da C. C. 2674 do B.I.I. 18 da Ilha da Terceira Acores
Procuro Camaradas que estiveram en Angola de 1969 a 1972
Regiao de Guiende Ambrizete etc
Desde ja Obrigado pela vossa Colaboracao
CONTACTO pimazores31@club-internet.fr"

Da palavra aos actos . . .

ganganeli
disse...

" Vou aventurar-me dizer que o nosso blog está apenas transmitir almoçaradas e recordações subjectivas de cada um de nós da 2ª metade do século passado. Feita a catarse dos traumas é preciso dizer alguma coisa mais profunda. por exemplo falar da história, da descolonização, da identidade nacional, da CPLP, etc Seria um meio útil da troca de opiniões e enriquecimento pessoal. É que estes temas estão ligados no fundo à questão básica dos nossos almoços.Caro amigo Brás o homem nao só vive da carne mas também do alimento para o espírito.
Um ABRAÇO.
Ganganeli "


Bras Gonçalves disse:

"Ganganeli
Claro que sim. Estou de acordo.
Aqui está uma óptima oportunidade de poderes começar a dar a tua contribuição ao blog, escrevendo aquilo e sobre o que te bem apetecer, e esses escritos serão publicados.
Aqui fica a réplica.
A bola está do teu lado
Um abraço
Brás "

25/10/2007

Na época das chuvas, ao redor do arame farpado, eram assim em Zau Évua


Vamos colocar mais uma foto no nosso blog.

Estamos a aguardar que nos remetam algumas fotos tiradas no nosso convívio, em especial, pelo fotografo profissional que por lá andou a fazer uns "bonecos".

Enquanto essas não chegam, o nosso bau de recordações ainda por lá tem material fotográfico para uns tempos.

23/10/2007

O descanço

Algures na mata em Zau Évua
Foto remetida pelo Octávio Amaral
Foto-cine

Aqueles que habitualmente nos visitam, verificaram que neste mês de Outubro, o Blog tem estado parado, isto é, não tem havido publicações, quer de mensagens, quer de fotografias.

Estamos a passar por um peíodo de repouso fisico e mental.

Após a concretização da nossa confraternização a 29 de Setembro, entrámos num período de descontração.

A partir de agora, vamos continuar a nossa participação normal, com a colocação de fotos e alguns escritos no nosso blog.

14/10/2007

Jose Niza - O médico do BCAC2977 - Compositor









Entrevista de hoj ao Público sobre uma compilação para CD da obra de Adriano Correia de Oliveira.


(Recordamos o Dr Jose Niza com a sua viola, no BCAC2877)

Sangalhos - Encontro de Furrieis da CCS

Já lá vão uns "bons 10 anos" que sob a iniciativa do Adelino Martins, a grande maioria dos furrieis da CCS se juntaram e almoçaram em Sangalhos.
Espumante e leitão, claro.

11/10/2007

Jose Letras Martins - Procura-se


:
avelina joana
Enviado:
quinta-feira, 11 de Outubro de 2007 13:22:11
Para:

Assunto:
Procura de paradeiro





Aqui deixamos uma mensagem que nos chegou com este pedido

Procuro paradeiro do sr Jose Letras Martins de nacionalidade Portuguesa Transmontano antigo militar colonial em Angola nos 1962-1974
Jose Letras Martins foi Adjunto do chefe do posto Quelo isto trabalhando na Administracao em 1960-1962 em Santo Antonio do Zaire.
Fio transferido para Ambriz C/as mesmas funcoes meados de 1962, posteriormente transferido para Luanda onde esteve colocado no posto Belas t/bem c/as mesmas funcoes de Adjunto do chefe do Posto com a patente de spirate. Eu Avelina Joana nasci em Cabinda mas residente no Santo Antonio do Zaire no posto Quelo. Em 1973 posto em Luanda meus tios marcaram um encontro para nos conhecermos mais nao foi possivel. Agora resido em Luanda e gostaria de encontrar meu pai, meu contacto 222 354170 /912 919715 /222 392200.

Pesso ajuda ao progra Zauevua para o referido pedido.


Meus agradecimentos antecipados na certeza que meu pedido esta bem encaminhado

Saudacoes

08/10/2007

Rescaldo da Confraternização de 2007


Agora, passados já que foram uns dias após o convivio de 2007 do nosso BCAC2877, aqui vos deixo algumas reflexões sobre o passado recente e sobre o futuro que não tardará em nos bater, em surdina, à porta.
Da organização deste convivio, como dos últimos anos, será legitimo recordar o esforço que todos os que estiveram envolvidos na sua organização.
Esforço que algumas vezes não é compreendido por alguns dos nossos queridos companheiros.
Já em algumas vezes dissemos que a vida dos dias de hoje não se compadesse muito com "chinezisses" do tipo dos almoços convivios. Mas, não será verdade que alguns de nós, não podem dispor de um único dia por ano, para "gastar", como mais ou menos esforço, na companhia dum amigo, dum companheiro de longa data, com alguem com quem compartiu os bons e os maus momentos da guerra de África ?
Como dizia o poeta - vale sempre a pena se a alma não é pequena.
Pois bem, é assim mesmo que pensam os dinamizadores desta iniciativa.
Com uma alma enorme de sentimento, de amizade e porque não, de nostalgia, tem pugnado com esforço para manter a chama acesa da iniciativa da organização do convivio anual.
Não vou falar em nomes, todos sabem quem são.
Mas, há uma coisa que quero que fiquem a saber, simples, como muitas coisas da nossa terrena vida.
Estes convivios dão muito trabalho, arrelias, tristezas, mas também muita alegria.
Em especial, quando se chega ao fim, tudo correu da melhor maneira e, ninguem da organização teve que dispender dinheiro do seu bolso para liquidar despesas porque as verbas cobradas não foram suficientes.
Este ano, merce de uma organização um pouco mais perfeita, sobrou alguma verba, pequena, mas que ficará para o próximo convivio.
Aos que denodadamente organizaram e aos que estiveram presentes, um grande bem hajam.
Até para o ano

01/10/2007

Zau Évua - Visão poética pelo Ganganeli

Zau Évua, vista por Ganganeli




A expressão artistica duma paisagem mórbida, adentro dum deserto de gente, onde o tempo ainda não tinha chegado e onde jamais chegou.
Tem tudo.
O por do Sol.
As casernas.
O morro, onde se situava a capela.
Os outros pequenos apendices, a imaginaçãpo e cada um, que os coloque onde bem entender...
Zau Évua vista assim, faz recordar a quem a conheceu como um sonho.
O deambular pelas ondas da imaginação das ultimas noites, ultimos dias de quem por lá passou e que vivia esses momentos na esperança, na expectativa do regresso.
Do regresso, são e salvo.
O infurtunio e a desgraça de muitos, fez com que tal não tivesse acontecido munca.
Recordo os que faleceram e que merecem sempre ser recordados.
Zau Évua assim . . . assim ... que maravilha.
Que felizes os que regressaram.
Bem haja o Ganganeli que com a espiritualidade da raça que usa a cor da sua tez, transformou a poesia do seu sonho, na realidade deste lindo quadro.
(Nota: Fui ver a Colecção Berardo. Este quadro bem merecia lá figurar... e, por aqui me fico)

30/09/2007

BCAC2877-Convívio de 2007 - 29 de Setembro

Vamos manter em "primeira página" no Blog, as fotos do nosso último convívio. Temos recebido telefonemas sobre o mesmo, no sentido de que foi um óptimo encontro e onde de facto houve hipótese de muitos dos nossos companheiros confraternizarem, calma e descontraidamente.
Para além de tudo, salvo o tempo que demorou a servir a refeição, tudo estava bem.
Sem desprimor para todos os demais, queremos aqui deixar publicamente um enorme voto de satisfação para aqueles, e são muitos, que nunca faltam à chamada.
Serão naturalmente um óptimo exemplo para todos nós, no sentido de que, sempre têm engenho e arte, para arranjar um pouco do seu tempo para gastar nos nossos convivios.
Para todos, sem excepção, um bem haja da organização e até para o próximo convívio.








































































































































































Aqui deixamos algumas fotos do almoço convívio de 29 de Setembro de 2007, que decorreu em Ançã.

Foram algumas das fotos que conseguimos tirar.

Ficamos a aguardar que nos mandem fotos para publicar











A ementa foi farta e de boa qualidade. A demora entre as diversas fazes da ementa foi o único senão a apontar.





Quando do "acerto" de contas, notamos uma divergência acerca do número de presenças, entre os dados do restaurante e os nossos.









No fim, tudo se acertou.









Como em anos anteriores, sempre aparecem uma caras novas.









Algumas faltas, tambem foram notadas, o que tambem é normal.









Muito concorrido em presenças e muito animado, pelo convívio que proporcionou entre todos os antigos companheiros e as respectivas famílias.









Como vem sendo hábito desde sempre, houve missa, na igreja da povoação, desta vez, celebrada pelo capelão do Batalhão.









O almoço que vou servido em seguida, com óptima comida e num local agradável, deu azo a que todos os participantes estivessem em animado convivio durante umas horas.









Na parte final, mais uma vez, foram cantados os parabêns e um enorme bolo com o distintivo do BCAC2877 foi posto à prova perante os mais gulosos.