29/12/2007

Feliz 2008

A correspondencia recebida, as notícias, as fotos, as encomendas vindas do Puto, anda hoje estão marcadas na nossa memória.
O final de cada ano, era um riscar no calendário de mais uma etapa da nossa permanencia na guerra.

Pelo seu significado quanto ao conteudo e até do da beleza dos selos e do próprio envelope, aqui fica registado o simbolo do unico meio de comunicação de então com os nossos familiares e amigos - a escrita

Formulamos assim, para o ano de 2008 os sinceros votos dum melhor desempenho profissional, para todos e que a nível pessoal, este ano que se aproxima, se revele mais benemérito em todos os sentidos que o ano de 2007.
Bem hajam

22/12/2007

Angola - BCAC2877 - Boas Festas - Feliz 2008

Mensagem recebida via Email, após contacto telefónico com este nosso antigo companheiro de armas, que esteve em data anterior à nossa passagem por aquelas paragens, em Bessa Monteiro.
Procurava notícias de quem por lá passou.
Recordações do passado.

"Olá, Braz (ex-combatente do norte de Angola).

Recebi em boas condições o seu e-mail e desde já o meu muito obrigado pelos esclarecimentos prestados. Para mim é sempre um enorme prazer contactar com ex-combatentes donde também faço parte.

Bcaç. 1931, Companhia Caç. 1786. Permanência mais de vinte meses nas terras isoladas de BESSA MONTEIRO, mais tarde fomos para o Chimacongo região da DAMBA.

Aqui lhe deixo um abraço desejando-lhe um BOM NATAL e FELIZ ANO NOVO, para si e estimada familia.

José Figueira "

Angola - BCAC2877 - Boas Festas - Feliz 2008




B O A S F E S T A S
F E L I Z 2 0 0 8
Os anos ensinam muitas coisas que os dias
desconhecem

Sê prudente nos teus
negócios,

Mas que esta convicção não te impeça de
reconhecer
a virtude;

há muitas pessoas que lutam por ideais
formosos e,

em toda a parte, a
vida está cheia de heroísmo.

Aceita com serenidade o cortejo dos anos,

e renuncia sem reservas aos
dons da juventude.

Vive em paz com Deus,seja como for que O imagines;

entre os teus trabalhos e aspirações,

mantém-te em paz com a tua alma,

apesar da ruidosa
confusão da vida.

De
todos

para todos

os

do
BCAÇ 2877







17/12/2007

O hábito das Festas



O hábito da maioria dos cristãos, passa pela celebração das Festas Natalícias na data do nascimento do Menino.
Para além das cerimónias religiosas que por todo o mundo se celebram, aqui e além de maneira bem diferente das tradicionais festas portuguesas, este período do ano, tem enraizado em sí, o tradicional aconchego familiar junto dos entes mais queridos.
O presépio tradicional, conhecido, como chegou até aos nossos dias, aproveitando o facto do nascimento do menino Jesus, representa, afinal isso mesmo, A data serve também, e especialmente para os mais jovens, desde os bebes aos adolescentes receberem as prendas que o velho Pai Natal, já de barbas brancas, mas sempre muito jovem para as longas
caminhadas com o seu trenó puxado por uns pares de renas, depositar no sapatinho, que sempre ficava por dentro da chaminé, hoje por mais moderno, junto da lareira ou do sempre e também tradicional pinheiro de Natal.
Para além dos prazeres da mesa, a comida e a bebida, mas sobretudo os doces, são nestas datas o expoente máximo da gula, do regalo gastronómico para miúdos e graúdos.
As calorias depositadas em excesso no espantalho do nosso corpo, suportado pelo cabide da nossa estrutura óssea, darão conta de si em futuro bem próximo.
Ao que se saiba, embora haja quem o conteste, vida só há uma.
Cuidado com a ida e com o regresso, as viagens podem ser um perigo, mas…. também, cuidado com a estadia.

10/12/2007

Angola Bcac 2877 - 1969 - 1971 - Boas Festas


As nossas desculpas, mas por mais voltas que tentemos dar, não é possível colocar o "postal de Boas Festas" do nosso Blog em condições aceitáveis.

Fica o esforço.

Conta a intenção


Paciência !!!


Aqi fica um pequeno escrito que foi feito com a modesta intenção de chamar a atenção e à razão a todos aqueles que por esta época de Festas de deslocam para as passar junto dos seus familiares e amigos mais chegados



A quadra natalícia é propícia a grandes deslocações, por todos os meios de transporte.
O mais comum e o mais cansativo, é feito em automóvel.
O condutor do veículo suporta não só o “trabalho” físico de levar os seus acompanhantes ao seu destino, mas ainda a pressão psicológica de os fazer transportar sem percalços até ao final da viagem.
Conduzir “à defesa”, isto é, calmamente, com atenção redobrada sobre a estrada, mas principalmente sobre aqueles que também são seus companheiros nessa jornada e que tanto circulam no mesmo sentido do seu, como em sentido contrário. Por vezes o ultimo dia de trabalho ou até as ultimas horas antes da partida, são de tal forma desgastantes que exercem uma enorme fadiga física e mental sobre o condutor.
Os seus companheiros podem e devem dar uma boa ajuda nesse sentido, acompanhando-o e dando-lhe alguma “assistência” qunado tal se sentir necessário. Parar, afrouxar a velocidade, não criar objectivos de etapas quase impossíveis de atingir, serão um bom método para fazer uma viagem mais segura e descontraída.
O velho ditado de que “mais vale chegar tarde que nunca”, deve aplicar-se perfeitamente a estas situações.
Acima de tudo, não esquecer também que o “seguro morreu de velho”, e não há seguro nenhum que devolva a vida ou uma incapacidade, por mais leve que seja, a cada um de nós.

Boa viagem, sem acidentes



06/12/2007

Zau Evua - Angola - Bcac 2877

Publicamos mais uma "vista" do aquartelamento de Zau Évua.
No alto do morro que ficava no centro do quartel, pode ver-se a Capela e a torre adjacente que servia de posto de vigia

04/12/2007

Bancada Central em Zau Évua

Aqui fica mais um testemunho dos momentos de lazer.
Estádio de Zau Évua
Lotação esgotada
Na mata outros companheiros lá estavam em missão. Estes gozavam a sua folga de mato.

03/12/2007

Ora bolas ....


Desta vez as bolas têm a ver mais com aqueles jogos de futebol que por lá se faziam.
Quem não se recorda ?

02/12/2007

Mensagem/comentário inócuo




Não havendo muito que dizer, aqui ficam umas fotos, oferecidas com um sentir especial, para os nossos ex-companheiros do interior do país, pois nem sempre tem possibilidade ou facilidade de ver o mar.


A razão é simples, pois nem sempre se pode ver o Atlântico assim tão "revoltado" e sem "vento", na Praia do Guincho, perto de Cascais

01/12/2007

Ora bolas . . .


Hoje é sábado, mas podia ser um outro dia qualquer, daqueles que são da semana de segunda-feira a Domingo. Domingo dia de descanso por natureza. Descanso, tambem só para alguns.
Muitos, face às suas profissões, trabalham e descansam em dias diferentes da grande maioria.
Quando falamos de descanso, falamos do corpo e do espírito.
Passar assim um dia, descontraído, com a mente liberta de problemas, se tal tambem for possível, com o corpo descontraído e mesmo que se faça algum trabalho ou esforço fisico, que esse seja substancialmente diferente do outro que se efectua no dia a dia.
Hoje, porque é o primeiro dia do último mês do ano, ainda significa que é feriado nacional. Sim, porque ainda há feriados nacionais. Este feriado, tem muito a ver com guerras e cenas de "pancadaria", claro que á boa maneira do seu tempo.
Portugal tem sido um país com poucas cenas de pancadaria deste tipo, mas mesmo assim, algumas são dignas de uma pequena menção.
Claro que o o Senhor Dom Afonso Henriques não tivesse andado à "estalada" com a mãe e o suposto "padrasto", o dito Condado Portucalense teria certamente levado outro caminho e aquele não teria sido o primeiro rei deste rectangulo.
Como posteriormente em 1640, não tivesse acontecido nova cena de "pancadaria" com o envio para o outro lado da fronteira de Elvas dos hoje nossos irmãos espanhóis. Portugal seria talvez mais uma provincia autonómica da Espanha.
Politicas à parte, mas que o nível de vida do lá de lá, supera o nosso em qualidade e quantidade, é mesmo verdade.
Isto a proposito do feriado, mas acima de tudo porque, mesmo com feriados, sábados, Domingos ou dias santos, ninguem escreve uma linha que seja (salvo raras e recomendáveis excepções) para alimentar este nosso elo de ligação, a que lhe chamaram Blog.
Ora bolas . . .
Acabem com a preguiça, em especial a preguiça mental . . .