24/02/2011

Zau Évua - capital do Bcaç2877

Por curiosidade, repescamos do livro  Os anos da Guerra Colonial - do quadro das Unidades Mobilizadas entre 1961-1975 as primeiras unidades que estiveram sediadas em Zau Évua.
Assim,  verificamos que a primeira unidade que se acantonou em Zau Évua  foi a CCav 1464, seguida  da CCav1466, que pertenceram ao BCav1868 e que estava sediado em Tomboco.
Na internet encontramos estas referencias sobre esse BCav: Veja aqui

18/02/2011

Zau Évua - fotos

Para ver com atenção estas fotos de Zau Évua e com aqueles que por lá ficaram depois de termos saído.

Ainda não conseguimos saber a companhia que lá ficou.

Vejam as fotos e comentem aqui.

O Teixeira – o Guia?

O Teixeira não era o guia da CAC2543 e 105?

Cremos bem que sim.

Numa das nossas pesquisas encontramos este pedaço de prosa, entre muitos outros que convidamos os nossos companheiros a lerem.

OO Teixeira era um resistente - antigo caçador, adaptou à guerra o seu domínio

Ao Anos da Guerra Colonial – 1961 1975

Adquirimos o livro "Os anos da Guerra Colonial".

Vamos fazer uma colectânea de mensagens sobre diversos temas que são tratados no livro, em especial dos que dizem respeito a Angola.

Apesar de tudo, continuamos na esperança de que alguns companheiros nos remetam fotos e algumas histórias, das muitas que todos temos, para que as possamos publicar.

Vamos aguardar

12/02/2011

Guerra de África - stress

Ao fim de 37 anos, depois de um milhão de soldados recrutados, 10 mil mortos e 30 mil feridos, o país contínua sem saber ao certo quantos antigos combatentes ainda vivem com doenças psicológicas. E descobre agora que muito menos sabe quantos ainda vivem limitados com ferimentos físicos.

Uma equipa envolvendo o Min da Defesa, Inst Superior Tecnologias Avançadas, Academia Militar, Escola Saúde Militar, Centro de Psicologia Aplicada do Exercito e o Arquivo Geral do Exercito e com elementos das áreas da psicologia, sociologia, direito, engenharia e economia, dedicou-se durante dois anos a este tema e encontrou uma realidade diferente da imaginada. O grupo partiu com a ideia de que a guerra colonial provocou níveis significativamente elevados de doença de stress pós-traumático crónico, em cerca de 15 por cento do total do militares expostos a combate.

08/02/2011

Stress - A Guerra nunca mais sai do corpo

Repescamos do Jornal Publico - revista de 30 de Janeiro de 2011, um artigo extenso  que trata da  situação de stress dos antigos combatentes da Guerra de África.
Aconselhamos vivamente a leitura e análise das diversas situações de antigos companheiros de guerra que estão completamente votados ao abandono.
" ... Um estudo científico revela que a geração de soldados feridos em combate no Ultramar queixa-se muito mais dos estilhaços e menmos do stresss pós-traumático... "