31/03/2014

Combatentes desprezados por Passos Coelho em Moçambique


A resposta de um patriota à atitude de Passos Coelho no cemitério de Maputo.

José Alberto Morais da Silva, Coronel Piloto Aviador na Reforma, vem, por este meio, protestar contra a vergonha e humilhação por que fez passar os Antigos Combatentes, por altura da primeira visita de V. Exª a Moçambique.
Por certo que sabia, ou se não sabia alguém do luzidio séquito que o acompanhou na visita deveria ter-lhe dito, que havia um cemitério no Maputo onde estão os restos mortais de vários Militares Portugueses que perderam a vida nos combates em Moçambique durante a Guerra do Ultramar. [ver foto em baixo]
Era sua obrigação, como primeiro-ministro de Portugal, ter ido prestar homenagem aos nossos mortos em combate.
Mas V. Exª – do alto dos seus altos conhecimentos da arte de ser político ou por não ter cumprido Serviço Militar e, portanto, não saber bem o que significa a palavra Patriotismo –, decidiu prestar homenagem aos mortos do nosso adversário nessa guerra, deixando no esquecimento aqueles que perderam a vida numa guerra que, justa ou injusta, foi uma guerra em que perderam a vida alguns milhares de Militares Portugueses.
Este acto de V. Exª foi mais uma desconsideração e humilhação para os Militares deste País e poderá V. Exª ficar a saber que 1.300.000 Portugueses, Antigos Combatentes, também não esquecerão a afronta cometida pelo primeiro-ministro de Portugal.

José Alberto Morais da Silva, Coronel da Força Aérea na Reforma ( No Facebook)


1 comentário:

Antonio S. Leitão. disse...

Sei de antemão que o meu comentario nao sera publicado, mas nao importa. Os que agora nos "governam" nao seguem por acaso os passos daqueles que durante a guerra nos fizeram passar fome, ingurgitar lavaduras, e por fim abandonaram em Africa os nossos camaradas mortos em combate?
Quantos Com. de Bat. exigiram junto dos soviéticos que nos "governavam", que todos, vivos ou mortos regressassem ao solo Patrio?