02/07/2009

Ambrizete

Mias uma mensagem com um testemunho do nosso companheiro.
Desta vez, sobre Ambrizete.
Quem esteve no Tomboco, ainda teve a possibilidade de nos reabastecimentos, ir a Ambrizete. Poucas eram as hipóteses de sair do aquartelamento.
Para nós, conhecemos Ambrizete quando da ida.
Foi apenas de passagem.
Recordo na ida, a Praia e o Brinca na'Areia.
No regresso, com a saída do comando de Batalhão de Zau Évua e asua transferência para Ambrizete, por lá passsamos, cerca de 15 dias antes do embarque.
Para quem passou todo o tempo no mato, sem ver o mar, e aqui recordo que quem está habituado a viver à borda de água, sente imensa falta desse azul-esverdeado ondulante, passar 15 dias naquela estância balnear, era como se estivessemos à altura de Torremolinos de então.
Vamos falar amis sobre Ambrizete, pois ficou-me no coração.
A praia, os pescadores a foz do M'Bridge.
Um abraço para Ambrizete.
«Tambem eu passei por Ambrizete.
Estando no Quiende, fazia o MVL sempre que podia,obrigado ou voluntário, não fui volintário muitas vezes na tropa, mas para fazer MVL, estava sempre pronto.
Era um risco calculado e sempre dava para quebrar a monotonia.
Ambrizete tinha mar, e peixe e marisco, no Brinca na Areia ao final do dia dava para esquecer a guerra.
Um abraço para todos e um especial para a Elisa, velha amiga dos Blogues com quem tenho a felicidade de trocar correspondência e que vim a saber trabalha onde eu passei muitos anos da minha vida.
Ten tido uma sorte de cão mas tem levado de vencida todas as adversidades que lhe aparecem.
Parabens Mulher, és uma Angolana das nossas.
José Lessa »

1 comentário:

Anónimo disse...

Bom dia gostei muito do que foi escrito pelo José Lessa , é como se fossem palavras minhas, gostei ainda da referência feita á D. Elisa Leite, grande sra. Estou de acordo com tudo o que se escreveu a seu respeito, beijinhos para ela.Um abraço para todos, obrigados por continuarem com o blogg.