15/09/2006

BCAC2877 - Mensagem do Jose Barros e Comentários

"Companheiros,
Depois de ler as muitas mensagens do fio, consegui de facto avivar a memória.
A outra Companhia do meu Batalhão situava-se na Luvaca ( e não Lufico), a caminho de Maquela do Zombo. O destacamento, onde havia uma grande Sanzala e onde o alferes Alves esteve, para sua desgraça, era Madimba, se não estou em erro.Julgo que o Herculano tem razão: o restaurante na praia do Ambrizete chamava-se "brinca na areia" e não pezinhos na areia.
Nessa zona esteve efectivamente o Paco Bandeira, que conheço e até é meu cliente. Não me parece que a canção "Lá longe, onde o sol castiga mais", tenha sido proibida. Na época, era de alguma forma moda dizer-se isso de tudo que fosse menos ortodoxo. Mas é verdade que o Zé Niza também esteve na zona, ( Tomboco, Quiende?), bem como o António Lobo Antunes. Eu pertencia à tropa do puto, por ter sido cá "incorporado", depois da greve académica de 1968/69.
Estava em Coimbra nesse tempo. Pertencia à cart 3448, sedeada na Buela. O batalhão esteve na zona de Outubro de 1971 a Março de 1974.
A Toyota tinha, nesse tempo um anúncio que dizia ter vindo para ficar. Daí que o pessoal nos tivesse crismado como o Batalhão Toyota, visto que nunca mudámos de zona.
Um abraço
José Barros "
Recebemos esta mensagem através do Dr Martins - autor do livro Zau Évua - Terra de Ninguem Sítio de vivência

2 comentários:

Anónimo disse...

Também estive na Luvaca, de Julho de 1973 a Fevereiro de 1974. Lembro-me que esse ano, já passámos o Carnaval em Luanda. Falam que esteve a CART 3447 na Luvaca mas foi só até Fevereiro. Só que depois esteve algum tempo em Luanda a aguardat embarque.
Já fui um felizardo no sentido em que só estive 9 meses lá. O restante pessoal «gramou» mesmo os vinte e sete meses. Foi por acaso que, procurando o nome «Luvaca» no google» cheguei a este site. É bom recordar! Como ostempos mudam e como cada um de nós conseguiu sobreviver e criar amizades das mais sólidas!
Manuel B. Proença
(mbproenca@portugalmail.pt)

Abreu dos Santos (senior) disse...

... que,

O alferes miliciano médico António Lobo Antunes, no decurso da sua "participação na guerra colonial", nunca esteve colocado em nenhuma unidade ou subunidade do distrito do Zaire; na última metade da respectiva comissão, esteve sim colocado no distrito de Malanje.